29 junho 2008

Fazedores de Auschwitz


Na caixa de comentários do post do Arrastão sobre o aumento da possibilidade de carga horária na UE para 65 horas, um energúmeno expõe-se assim:




O contexto em que está inserido não dá azo a que se pense em ironia. Sobretudo quando, logo a seguir, afirma:




É este o estado em que estamos. Habituem-se!

3 comentários:

Ricardo Martins disse...

LOOOOL. Esse gajo é absolutamente genial. "Eles não dormem de tanto pensar como desenvolver este pequeno Portugal". Será que o gajo está a falar a sério???

Paulo disse...

É nestas alturas que, se soubesse dar graças, dava a quem inventou uma expressão perfeita para este tipo de comentários (ou, nas palavras de Hank Moody): "LO(fuckin)L". Bora lá trabalhar 14 horas por dia e, já agora, dispensar as férias e acabar com aqueles 3 ou 4 trabalhadores que ainda têm o privilégio de trabalhar sob contrato. Assim sim, o país chega a algum lado.

Ursdens disse...

O que é esta merda?!?!?

Raios os partam... meninos...